Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A IMPORTANCIA DAS VACINAS NA PREVENÇAO DE DOENÇAS

Palavras-Chave

Vacinas, biologia molecular, vacinação e saúde pública

Fundamentação/Introdução

Consideradas hoje como uma das políticas de saúde pública das mais efetivas e de melhor custo-benefício, as vacinas são utilizadas para o controle e prevenção de várias doenças. Em adição, a prática de vacinação em massa visa proteger indiretamente indivíduos não vacinados, uma vez que, pode gerar a eliminação de agentes infecciosos no ambiente e por consequência a proteção da coletividade e de indivíduos vulneráveis. Por outro lado, sua aceitação não é universal, a medida que o número de vacinas disponíveis no mercado aumenta, cresce também o questionamento acerca da necessidade de sua aplicação.

Objetivos

O objetivo deste trabalho é mostrar a importância das vacinas para a prevenção de doenças, bem como os males que a sua não utilização podem gerar para a sociedade.

Delineamento e Métodos

Trata-se de uma revisão bibliográfica, realizado através de artigos disponíveis em bancos de pesquisa acadêmica, pesquisados com os seguintes termos subscritores: vacinas, biologia molecular, vacinação e saúde pública.

Resultados

As vacinas agem criando uma memória imunológica, deste modo, quando o agente infeccioso tentar invadir o organismo, as células de defesa irão ataca-lo. Além dos antígenos inativos ou atenuados presentes nas vacinas, estas contem também, produtos químicos e biológicos, tais como: estabilizantes e conservantes, por exemplo os fenóis, glicina, albumina, soro fisiológico ou fluidos que melhoram a eficacia, prolongando a proteção do indivíduo. Algumas podem ainda apresentar traços de antibióticos, evitando o crescimento de micro-organismo. Os agentes infecciosos vivos (ativos), porém enfraquecidos, encontrados em algumas vacinas podem gerar sintomas semelhantes a doença que esta imunizando, porem em intensidade muito mais leve.

Conclusões/Considerações finais

Por fim, devemos ressaltar a importância que as vacinas desempenham para que doenças já erradicadas não venham a reaparecer. Deste modo, grupos de recusa vacinal ou antivacinismo, podem colocar em risco a erradicação da doença, podendo levar à uma diminuição da cobertura, e todas as suas consequências.

Área

Tema livre

Instituições

Uniandrade - Parana - Brasil

Autores

VANESSA GIACOMINI DE ARAUO DA SIVA, ANDREA SKIBINSKI MOON, KAOANE GONCAVES ROSA