Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PARACETAMOL, O VILAO DE FACIL ACESSO!

Palavras-Chave

Paracetamol, Riscos, Toxicidade.

Fundamentação/Introdução

Visto que o paracetamol é um dos fármacos com ação analgésica, antipirético e anti-inflamatório de fácil acesso para a população com características não opiódes, seu uso indiscriminado pode causar efeitos colaterais e intoxicação quando em altas doses causando danos crônicos tanto ao fígado, quanto ao rim, ou ainda intoxicações agudas que podem levar à óbitos se não recorrer à tratamento emergencial.

Objetivos

O estudo tem o objetivo de avaliar a toxicidade do paracetamol, além de indicar qual a posologia segura deve ser administrada por faixa etária diária e ainda mostrar claramente quais tratamentos podem ser usados em casos graves de intoxicação aguda pelo medicamento.

Delineamento e Métodos

O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica qualitativa observacional, tendo como base artigos publicados a partir de 2013, encontrados nas bases de dados PubMed, Google Acadêmico e Scielo sendo uma pesquisa realizada no período de agosto a setembro de 2019.

Resultados

O paracetamol possui quatro principais formas de absorção: a prostaglandina H sintetase que promove a transformação do ácido araquidônico em PGG2 pela via de cicloxigenase (COX). Ele intervém no metabolismo de um substrato importante da enzima da COX, levando a diminuição da sua ação. Receptores Canabinóides: tem principal ação no cérebro onde o paracetamol conjuga-se com ácido araquinódico com a ajuda da enzima hidrolase, ele não atua diretamente com os esses receptores pois tem baixa afinidade, mas age indiretamente levando ao aumento da concentração de canabinóides endógenos e a diminuição de anadamina, que levaria a ativação de nociceptores. Receptores Serotoninérgicos: vários estudos evidenciam que a ação analgésica do paracetamol relacionando-se com a via serotoninérgica descendente, na medida em potência de uma interação com os seus receptores. Óxido Nítrico Sintetase: (NO) é um neurotransmissor produzido em resposta a ativação do receptor NMDA e responsável pela amplificação da atividade nociceptiva neuronal, ao inibir a síntese NO sintetase, o paracetamol tem a capacidade de diminuir a percepção de dor.

Conclusões/Considerações finais

Com o estudo foi encontrado evidências de que o paracetamol inibe uma variante da enzima COX, que é diferente das variantes COX-1 e COX-2, denominada agora de COX-3 mas observadas apenas em cães, porém fica claro que o uso indiscriminado do medicamento causa danos nocivos e possivelmente irreversíveis necessitando de intervenção imediata como, lavagem gástrica, por exemplo.

Área

Tema livre

Instituições

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE - Parana - Brasil

Autores

PAULA ANDRESSA GALVÃO, BRYSSA JUREMA VARGAS, DANIELLA LEONI BERNARDO ADLER, FELIPE FERREIRA CARRER