Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A SAGA DA CIENCIA NO BRASIL: UM OLHAR SOBRE A REALIDADE E SEUS DESAFIOS

Palavras-Chave

pesquisa, ranking, produção científica, agências, fomento, observacional, ciência, estudo, confiabilidade, fake news

Fundamentação/Introdução

O Brasil ocupa a 30ª posição no ranking mundial de produção científica e responde a 0,19% dos trabalhos publicados no mundo, segundo dados da Highly Cited Researches de 2019. Os pronunciamentos de agências de fomento, de universidades e sociedades científicas têm sinalizado, de forma recorrente, o retrocesso desastroso que os cortes governamentais de mais de 2 bilhões de reais devem causar na produção científica e as consequências graves para o desenvolvimento nacional.

Objetivos

Identificar as principais demandas de cientistas em diferentes níveis que possibilitaria alavancar a pesquisa científica brasileira.

Delineamento e Métodos

O presente estudo pode ser classificado como observacional do tipo transversal, em que a coleta de dados foi realizada em uma única oportunidade a fim de se avaliar as principais dificuldades vivenciadas por pesquisadores brasileiros de diferentes regiões do país. Para tanto, elaborou-se um questionário com 8 (oito) perguntas (2 abertas e 6 fechadas) aplicado via Google Forms. As respostas foram analisadas de forma quanti-qualitativa. Foram obtidas 163 respostas de pesquisadores, considerando-se, portanto, um erro padrão de 10% e nível de confiança de 95%.

Resultados

Responderam à pesquisa, professores, alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e profissionais de diversas áreas. Das 163 pessoas que responderam ao questionário, 72,4% afirmaram que a divulgação científica brasileira não é satisfatória e 93,3% que não é valorizada diante da sua importância para a sociedade. Quanto à visualização de fake news, 43,8% dos entrevistados responderam que sempre se deparam com estas informações relacionadas à ciência, e 48,8% que a frequência é esporádica. Entre as principais dificuldades e limitações para os avanços científicos foram listados a falta de financiamento público, número reduzido de bolsas de pesquisa e a falta de verba para comprar equipamentos, materiais e reagentes. Estudos passados relatam a escolaridade e número de pesquisadores como principais dificuldades enfrentadas.

Conclusões/Considerações finais

Com o estudo realizado foi possível evidenciar a influência dos cortes e contingenciamentos de verbas na limitação dos avanços científicos nacionais, e as principais limitações que os pesquisadores apontam como entraves para realização de seu trabalho.

Área

Tema livre

Autores

LUIZA SLAVIERO, CAMILA DELINSKI BET