Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

BOTULISMO ALIMENTAR: UM ASPECTO GERAL DA INTOXICAÇAO NO BRASIL

Palavras-Chave

Botulismo, Toxina Botulínica, Intoxicação, Neuroparalísia e Toxicologia

Fundamentação/Introdução

O botulismo alimentar é uma doença neuroparalítica grave que ocorre por ingestão de neurotoxinas encontradas nos alimentos contaminados pela bactéria Clostridium botulinum (JOHNSON e MONTECUCCO, 2008).

Objetivos

O presente trabalho tem como objetivo mostrar a relação da patologia e seus agravos no âmbito brasileiro, bem como o aspecto em relação a notificação epidemiológica.

Delineamento e Métodos

Esta revisão bibliográfica teve como fundamento pesquisas em plataformas como PubMed, Scielo, Elsiever e DATASUS, utilizando as palavras chaves: botulismo alimentar, toxina botulínica, notificação de botulismo.

Resultados

Atualmente são conhecidos oito sorotipos da toxina sendo eles A, B, C1, C2, D, E, F e G. Pode se afirmar que o tipo G está associado a mortes mais rápida e comparada aos outros tipos (HUANG, FORTER, ROGACHEFSKY, 2000). A absorção da toxina botulínica se dá no trato gastrointestinal através das vilosidades do intestino, dissemina-se através da corrente sanguínea e tem ação sobre as terminações nervosas colinérgicas do sistema nervoso periférico e autônomo. A toxina inibe a liberação de acetilconesterase e paralisa os nervos motores levando a uma diminuição da contração muscular (SALGUEIRO, 2011). O diagnóstico de botulismo geralmente é realizado por meio de sinais e sintomas clínicos. Pode ser realizado através de métodos laboratoriais, que são obtidos pela detecção da toxina no soro ou fezes do paciente (LINDSTRÖM e KORKEALA, 2006) e a maneira mais comum de detecção da intoxicação é através de bioensaio de inóculo em camundongos, realizado em três etapas: presuntiva, confirmatória e específica (BRASIL, 2006). Nos últimos dez anos, no Brasil foram reportados 60 casos de botulismo alimentar, sendo a região que mais houve notificação foi a sudeste com 36,6% dos casos. O ano com a maior incidência dos casos foi o de 2009, apresentando 21,6% do total, além disso foram confirmadas nove mortes pelo agravo da doença de 2009 até 2018 (DATASUS).

Conclusões/Considerações finais

Apesar da incidência do botulismo alimentar no Brasil ser baixa, é uma doença grave e progressiva, de modo que é importante seu diagnóstico rápido e preciso. A notificação compulsória visa o rápido controle e intervenção o que é de extrema importância para a saúde pública mundial. Desta forma, é necessário o controle e fiscalização pelos órgãos públicos incumbidos desta função, assim como inspecionar os métodos para fabricação e envase dos produtos alimentícios industriais e também artesanais.

Área

Tema livre

Autores

BRUNA EDUARDA BORGES DAMIÃO GALÃO, DANIELY BRIGIT ALVES SILVA, MAYARA CRISTINA VIEIRA, MAYRA ROBERTA VIEIRA, LINDICE MITIE NISIMURA