Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTUDO DA ATIVIDADE LEISHMANICIDA DE METABOLITOS PRODUZIDOS POR ACTINOMICETOS FRENTE A LEISHMANIA AMAZONENSIS.

Palavras-Chave

Leishmaniose tegumentar, Actinomicetos, Atividade leishmanicida.

Fundamentação/Introdução

A leishmaniose tegumentar é uma parasitose infecciosa, que pode ser causada pelo protozoário Leishmania amazonensis e transmitida pela picada das fêmeas de flebotomíneos da espécie Lutzomyia. O tratamento atual direcionado para essa doença são os antimoniais pentavalentes, esses por sua vez, produzem grandes efeitos tóxicos e colaterais induzindo ao abandono do tratamento bem como ocasionando o aumento de formas resistentes desse parasito. Diante disso, faz-se necessário o estudo sobre novos agentes terapêuticos que atuem de forma mais seletiva, sem que haja tantos danos para o paciente. Observou-se que microrganismos oriundos do meio ambiente, como os actinomicetos, são produtores de metabólitos secundários que é uma grande fonte de novos compostos.

Objetivos

Sabendo do potencial desse composto, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito do metabólito sobre o crescimento de promastigotas de Leishmania amazonensis

Delineamento e Métodos

As formas promastigotas foram cultivadas em meio Schneider e sua atividade biológica analisada por meio da incubação na presença de diferentes concentrações (1.25 – 0.78 mg/mL) do metabólito F5. O crescimento da cultura foi acompanhado através de contagens diárias entre 24-72h em câmara de Neubauer. A IC50 (concentração que inibe 50% do crescimento dos parasitas) foi determinada após 72 horas de cultivo por análise de regressão linear. Cada teste foi feito em dois experimentos independentes em triplicata.

Resultados

O composto testado apresentou atividade leishmanicida em diferentes concentrações, visto que na maior ele foi capaz de inibir 52.6% do crescimento, nas demais concentrações ele também apresentou capacidade inibitória do crescimento de 46.1, 31.6, 25.0 e 25.0% (da segunda maior concentração para a menor). A IC50 foi calculada e apresentou um valor de 79.04 mg/mL.

Conclusões/Considerações finais

Estudos complementares ainda são necessários para avaliar a sua toxicidade e seu efeito sobre formas amastigotas, mas nossos resultados apontam que o metabólito F5 seja promissor contra a leishmaniose.

Área

Tema livre

Instituições

Universidade Ceuma - Maranhao - Brasil

Autores

MICHELLE PINTO CHAVES, MARIANA COSTA MELO, LÉO RUBEN LOPES DIAS, RITA DE CÁSSIA MENDONÇA MIRANDA, AMANDA SILVA SANTOS ALIANÇA