Congresso Paranaense de Biomedicina, I Congresso de Biomedicina Estética do Paraná, I Simpósio de Ciências Forenses e Laboratoriais, I Encontro das Mulheres Biomédicas

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NIVEIS DE ANTICORPOS MARCADORES DE IMUNIZAÇAO CONTRA O VIRUS DA HEPATITE B EM ESTUDANTES UNIVERSITARIOS APOS VACINAÇAO

Palavras-Chave

Hepatite B. Esquemas de Imunização. Imunologia.

Fundamentação/Introdução

A infecção pelo vírus da Hepatite B (HBV) é um importante problema de saúde pública. A indução de imunidade por meio de vacinação é uma forma efetiva e segura de prevenir a doença, cerca de 80 a 90% dos indivíduos adquirem imunidade após o esquema vacinal. Afim de avaliar a eficácia da vacina, realiza-se a dosagem de níveis de anticorpos anti-HBs, que devem estar acima de 10 mUI/ml.

Objetivos

Dentre a população suscetível a hepatite B, estão os profissionais de saúde, assim o objetivo desta pesquisa foi avaliar os níveis de anti-HBs em acadêmicos da área da saúde previamente vacinados.

Delineamento e Métodos

Para tanto, foi realizado um estudo transversal com estudantes universitários de cursos da área da saúde de uma instituição de ensino superior do Rio Grande do Sul.

Resultados

Primeiramente foram selecionados acadêmicos que, além de aceitarem participar da pesquisa, possuíam o esquema vacinal completo para hepatite B. Então foi realizada coleta de sangue e mensuração dos níveis de anti-HBs por meio de kit comercial de Elisa. A população do estudo constou de 60 acadêmicos, destes 68,3% apresentaram níveis de anti-HBs maiores de 10 mUl/ml e, portanto, estavam imunes a hepatite B, enquanto 31,7% apresentaram níveis inferiores a 10 mUl/ml e não estavam imunes. Assim demonstramos que uma importante porcentagem dos estudantes não apresenta imunidade satisfatória após o esquema vacinação. Do público do estudo, a maioria se vacinou a mais de 10 anos, e diversos estudos demonstram que os níveis de anticorpos tendem a reduzir após este período.

Conclusões/Considerações finais

Assim, é de extrema importância a realização da dose de reforço para que o indivíduo retome os níveis ideais de anticorpos. Ainda, algumas pessoas não respondem a vacina, porque o organismo não produz anticorpos suficientes, nestes casos, o indicado é ter cuidados redobrados com o material biológico para evitar o contágio.

Área

Tema livre

Autores

KARINA KIRSTEN, RENATA VIACELLI BIOLCHI